segunda-feira, 4 de julho de 2016

Louise Ribeiro, 20

Série: Mortalha
Título: Louise Ribeiro, 20
Esferográfica s/ Kraft
20x20
2016

Fonte: http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2016/06/23/interna_cidadesdf,537442/pai-de-louise-exige-que-pena-de-acusado-seja-feminicidio.shtml

"A família de Louise Ribeiro, assassinada aos 20 anos de idade pelo ex-namorado, recorreu à Justiça para que o autor declarado do crime, Vinícius Neres, seja condenado por feminicídio. Inicialmente, o jovem, que é réu confesso, foi acusado de homicídio qualificado com ocultação de cadáver. Tanto Vinícius quanto o pai de Louise, Ronald Ribeiro, prestaram depoimento ontem no Tribunal do Júri do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT). A audiência de instrução não teve sentença. Ela será proferida apenas no julgamento do caso, ainda sem data marcada. “Esse crime desestabilizou a minha família. Hoje, a irmã mais nova da Louise, Isadora, faz tratamento psicológico para lidar melhor com o ocorrido. A mais velha, Mariana, se tornou uma pessoa calada. Minha mulher, Sandra, não sabe detalhes do caso. O que esse menino fez representa desrespeito à fragilidade de uma menina, que foi morta de maneira brutal por alguém muito maior e mais forte que ela”, contou ao Correio o pai da vítima, o tenente do Exército Ronald Ribeiro. Segundo ele, a acusação contra Vinícius não condiz com o comportamento dele. “Quero uma punição exemplar. Ele articulou a situação a ponto de humilhar, maltratar e ir muito além do assassinato. Rebaixou minha filha”, complementou. Vinícius contou em detalhes de como foi a dinâmica do crime, ocorrido em 10 de março, nas dependências da Universidade de Brasília (UnB). Com comportamento semelhante ao apresentado no depoimento à polícia, o estudante demonstrou calma ao relatar o ocorrido. Segundo ele, a ideia de encontrar a ex-namorada surgiu após ele ter pensamentos suicidas. “Na verdade, eu queria me matar. Havia até cogitado usar o clorofórmio para isso. Mas, quando contei para Louise o que estava planejando, ela me deu um abraço e falou que sentiria saudades. Era tudo mentira. Meu sentimento, na hora, se transformou em raiva”, afirmou. Vinícius, então, deu uma gravata em Louise e usou um pano de limpeza da bancada do laboratório de biologia da UnB, embebido em clorofórmio, para desequilibrá-la. Questionado pelo magistrado responsável pelo caso, Paulo Jordano, se o crime havia sido premeditado, ele disse que “a história tomou outro rumo” ao perceber o desprezo da ex-namorada. O juiz declarou acreditar que o “pensamento do réu é muito singular, porque quem quer se matar sente autopiedade e não raiva”. Ainda assim, Vinícius declarou “ter ficado extremamente frustrado com a reação dela”."

Miliane Oliveira, 31

Série: Mortalha
Título: Miliane Oliveira, 31
Esferográfica s/ Kraft
20x20
2016

Fonte:http://g1.globo.com/ac/acre/noticia/2016/06/apos-ter-casa-invadida-por-lutador-ex-vai-embora-do-acre-larguei-tudo.html

"Há pouco mais de um mês, Milliane Oliveira, de 31 anos, viu a vida mudar da noite pro dia após o ex-namorado, o lutador de MMA Deroci Barbosa, de 25 anos, invadir a casa dela, em Rio Branco. Um casal de amigos dela que estava no local acabou sendo agredido pelo lutador e ela conseguiu fugir pela janela com o filho no colo. Após o episódio, a jovem mudou de estado com o filho de um ano do casal para a casa de uma tia na cidade de Goiânia (GO) e diz que não pretende voltar a morar no Acre. "Achei melhor sair de lá (do Acre). Fiquei revoltada porque assim que vim embora retiraram a tornozeleira eletrônica dele. Já está vivendo a vida muito bem, frequentando a academia. Parece que nada aconteceu. A família dele não liga nem para saber como a criança está, não me ajudam com nada, parece até que o menino morreu", reclama a jovem. O lutador foi preso em flagrante no dia 8 de maio após a ex-namorada acionar a polícia relatando a invasão e agressão. Na ocasião, a enfermeira Pamela Alves, de 25 anos, ficou com vários ferimentos no rosto e o namorado dela ficou com o supercílio esquerdo cortado durante a confusão. Um dia após o crime, o lutador usou as redes sociais para se defender e caracterizou o momento como uma emboscada. Ao G1, a advogada do lutador, Manyra Gama, contestou as afirmações de Miliane. “Ela está faltando com a verdade, porque ele ainda está sendo monitorado e isso é fácil de comprovar. Ainda não houve nenhuma decisão judicial a respeito da revogação da medida protetiva e ela inclusive continua mantendo contato ameaçando ele e a namorada dele. Mesmo lá de Goiânia ela continua mandando mensagens e ligando”, afirma. Milliane conta que se mudou no último dia 6 para a casa da tia e que os pais estão ajudando com as despesas. Ela relata ainda que não teve mais contato com o lutador e que Barbosa, que estava usando uma tornozeleira eletrônica, retirou o aparelho assim que ela mudou. Revoltada com a liberdade de Barbosa, Milliane acha que o ex-namorado não teve a punição que merecia e se diz desacreditada na Justiça. A mudança representa um recomeço para ela e o filho. "Não tenho confiança [na Justiça], porque antes disso já tinha a medida protetiva e mesmo assim ele foi capaz de fazer aquilo. Pagou fiança de um salário mínimo e foi solto. A Justiça é lenta demais, já vão fazer dois meses e até agora não resolveram nada", lamenta. Ainda de acordo com a jovem, ela tentou contato com o lutador antes de ir embora para informar para onde o filho do casal estava indo. Ela relembra que a ligação foi atendida pela namorada de Barbosa e a mulher teria negado que o telefone pertencia ao lutador. Após algumas horas, uma amiga de Milliane teria ligado e o Barbosa atendeu o celular. "Larguei tudo, minha casa e vim embora. Estava muito difícil continuar lá depois de tudo que aconteceu. Acho tudo tão injusto. Ele quebrou a cara dos meus amigos, invadiu minha casa, tentou me matar e na mesma semana que fez tudo isso, arranjou uma namorada de uma hora para outra, posta altas declarações de amor. Tem uma vida normal, fico revoltada. Parece que ele não vai pagar por nada que fez", acrescenta. No dia 9 de maio, a 3ª Vara Criminal de Rio Branco determinou que o lutador mantivesse uma distância de 200 metros da ex-namorada. A decisão foi parte do acordo aceito por Barbosa para ser solto, que incluiu ainda pagamento de fiança. O caso foi encaminhado à Vara de Violência Doméstica. A ex-namorada do lutador já possuía uma medida protetiva contra ele, após uma invasão anterior ocorrida há dois meses, mesmo período do fim do relacionamento, que durou pouco mais de um ano. Já no dia 11, a Promotoria de Violência Doméstica do Ministério Público do Acre (MP-AC) ingressou com um pedido de prisão contra o lutador. Segundo a promotora Dulce Helena de Freitas Franco, que assinou o pedido, ao invadir a casa da ex, Deroci Barbosa descumpriu a decisão judicial de manter distância de Milliane."

Patrícia Rodrigues Lima, 44

Série: Mortalha
Título: Patrícia Rodrigues Lima, 44
Esferográfica s/ Kraft
20x20
2016

Fonte:http://g1.globo.com/sp/santos-regiao/noticia/2016/06/mulher-baleada-pelo-ex-em-festa-junina-ja-caiu-em-rio-por-causa-de-suspeito.html

"Parentes e amigos da mulher de 44 anos que foi baleada na noite de sábado (25), durante uma festa junina, em Itariri, na região do Vale do Ribeira, no interior de São Paulo, pedem que o suspeito de atacá-la seja preso. Conhecidos da vítima afirmam que ele segue ameaçando as pessoas próximas da mulher e dizem que ele já agrediu a ex-companheira inúmeras vezes. Patricia Rodrigues Lima havia acabado de chegar a uma festa junina que estava ocorrendo em uma região de mata de um sítio quando levou quatro tiros. Ela foi socorrida e levada para um hospital. O autor do crime, identificado como o mecânico Miguel Ferreira da Silva Neto, de 45 anos, fugiu e ainda não foi localizado. Uma conhecida de Patricia, que prefere não se identificar, afirma que essa não é a primeira vez que o mecânico a atacou. "A gente precisa que ele vá pra cadeia, não tem outro modo da gente se sentir seguro, porque, mesmo depois de todo acontecido, ele ainda continua ameaçando, continua atrás", afirma. Ela conta que no dia 9 de maio Miguel a agrediu repetidamente e que Patricia se lançou em direção a um rio para tentar escapar das investidas do ex-marido. "Ligaram para ele e contaram que ela estava em um baile e ele ficou esperando ela no portão da casa dela. Quando ela chegou, ele bateu muito nela e, quando ela viu que morreria na mão dele, ela se jogou do carro, caiu em um barranco, dentro do rio e ficou desacordada. Depois a gente conseguiu socorrê-la". No dia dos disparos, ela diz que Patricia não teve chances de reagir e foi atingida assim que deixou seu automóvel. "Assim que ela desceu do carro, ele já disparou três [vezes]. A gente só escutou os estampidos e viu ela caída", conclui. Patrícia já havia registrado boletins de ocorrência contra o ex-companheiro por agressão e ela estava sob medida protetiva. A vítima segue internada em um hospital não divulgado e o estado de saúde dela é estável. O caso foi registrado na Delegacia de Peruíbe, já que a Delegacia de Itariri fica fechada aos fins de semana."

Kelly Gisele da Silva, 15

Série: Mortalha
Título: Kelly Gisele da Silva, 15
Esferográfica s/ Kraft
20x20
2016

Fonte: http://extra.globo.com/casos-de-policia/adolescente-morta-com-tiros-na-parte-intima-na-baixada-fluminense-19608042.html#ixzz4D1HSTxi6

"Uma jovem de 15 anos foi assassinada com cerca de dez tiros nas partes íntimas nesta terça-feira em Queimados, na Baixada Fluminense. O corpo de Kelly Gisele da Silva foi encontrado na Estrada Ilda Alves, no bairro Vila Grande, jogado dentro da mata, perto da linha férrea. A família da adolescente esteve na manhã desta quarta-feira no Instituto Médico Legal (IML) em Nova Iguaçu, também na Baixada, para liberação do corpo. Emocionado, o pai da menina preferiu não falar. Os parentes suspeitam que o crime tenha sido praticado por um ex-namorado de Kelly. — Os dois tinham um relacionamento inconstante. Viviam brigando. Ele também a ameaçava muito. Algumas pessoas disseram que o viram na região no dia do crime — contou Miguel Novais, de 52 anos, padrinho da vítima. Nas redes sociais, amigos lamentam a morte da jovem com mensagens de luto e trechos de músicas evangélicas. A família aguarda liberação do corpo para poder realizar o enterro da garota. Kelly deve ser enterrada no fim da tarde desta quarta-feira no cemitério de Queimados. A Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) realizou perícia no local do crime e investiga o caso."

Dharma de Andrade Vilas Boas Barbosa, 14

Série: Mortalha
Título: Dharma de Andrade Vilas Boas Barbosa, 14
Esferográfica s/ Kraft
20x20
2016


"A Polícia Civil encontrou, nesta quarta-feira (29), o corpo de Dharma de Andrade Vilas Boas Barbosa, adolescente de 14 anos, grávida de dois meses, que estava desaparecida há um mês. O corpo foi achado na favela da Ponte Preta, em Olinda, Região Metropolitana do Recife (RMR), nas proximidades do Classic Hall. Segundo o delegado responsável pelo caso, Breno Varejão, o corpo passará por perícias para elucidar como a adolescente morreu. A suspeita é que haja envolvimento com drogas. Dharma era namorada de um interno do Centro de Internação Provisória da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Cenip-Funase) apreendido por tráfico de drogas. Uma pessoa também foi presa por envolvimento na morte da jovem. O preso vai responder por ocultação de cadáver. Além dele, outros três suspeitos estão sendo procurados."

Luiza Brunet, 54

Série: Mortalha
Título: Luiza Brunet, 54
Esferográfica s/ Kraft
20x20
2016

Fonte: http://blogs.oglobo.globo.com/ancelmo/post/luiza-brunet-acusa-companheiro-de-agressao.html?utm_source=Twitter&utm_medium=Social&utm_campaign=compartilhar

"Luiza Brunet, 54 anos, está muito abalada. É que, na madrugada do dia 21 de maio, a querida ex-modelo e atriz diz ter sofrido uma série de agressões de seu companheiro há cinco anos, o empresário Lírio Albino Parisotto, no apartamento dele, no Plaza Residence, em Nova York. No dia seguinte, escondida, ela pegou um voo direto para o Brasil. A queixa foi representada no Ministério Público de São Paulo com o laudo de corpo de delito do IML feito por ela. A agressão de Lírio, segundo Luiza, começou no restaurante onde eles estavam jantando com amigos. Ao ser perguntado se o casal iria a uma exposição de fotos, Lírio se exaltou. Disse que não iria porque da última vez ele foi confundido com o ex-marido de Luiza, Armando. Daí por diante, ele teria se descontrolado. Luiza, educadamente, mandou mensagem pelo celular às outras pessoas que estavam sentadas à mesa. — Fui para Nova York acompanhá-lo para o evento Homem do Ano. Saímos do restaurante e pegamos um Uber. Ao chegar ao apartamento, ele me deixou dentro do carro e subiu — conta Luiza. A atriz conta que subiu logo depois e se sentou numa poltrona, onde os dois sempre fumavam e paravam para conversar. Lírio já estava de roupão e, segundo Luiza, partiu para cima dela, ofendendo-a verbalmente. Logo depois, deu um soco em seu olho, seguido de chutes. Luiza diz que ele a derrubou no sofá e a imobilizou violentamente até quebrar quatro costelas dela. Ela só conseguiu se desvencilhar depois que ameaçou gritar pelo concierge. Então, trancou-se no quarto e só saiu de lá no dia seguinte, após ter certeza de que ele não estava no apartamento, e voltou ao Brasil: — Eu sempre tive uma família estruturada e sempre fui discreta em minha vida pessoal. É doloroso aos 54 anos ter que me expor dessa maneira. Mas eu criei coragem, perdi o medo e a vergonha por causa da situação que nós, mulheres, vivemos no Brasil. É um desrespeito em relação à gente. O que mais nos inibe é a vergonha. Há mulheres com necessidade de ficar ao lado do agressor por questões econômicas, porque está acostumada ou mesmo por achar que a relação vai melhorar. Luiza, a Madá de “Velho Chico” e musa da Dijon no final dos anos 70 e início dos 80, é mãe de Yasmin e Antônio, fruto de seu relacionamento com o empresário argentino Armando Fernandez, com quem ficou casada de 1984 a 2009."

Josilene Ferreira de Araújo, 24

Série: Mortalha
Título: Josilene Ferreira de Araújo, 24
Esferográfica s/ Kraft
20x20
2016

Fonte:http://g1.globo.com/sp/piracicaba-regiao/noticia/2016/07/homem-atira-na-boca-da-mulher-em-briga-por-ciumes-em-piracicaba-sp.html

"Uma mulher de 28 anos foi atingida com um tiro na boca pelo marido, na noite deste domingo (3), no Vila Sônia em Piracicaba (SP). Preso em flagrante, o vendedor de 27 anos disse à polícia que atirou acidentalmente durante uma discussão por ciúmes. A vítima foi atendida no pronto-socorro do bairro e depois transferida para a Santa Casa. O caso foi registrado no plantão policial como violência doméstica e tentativa de homicídio qualificado. Conforme o boletim de ocorrência, a mulher deu entrada no PS, às 20h, com uma marca escura no rosto e muito sangue pela roupa. Ainda consciente, a vítima contou à Guarda Municipal que havia sido baleada na boca pelo marido. Conforme a Polícia Civil, enquanto a vítima recebia atendimento médico, o vendedor apareceu na unidade para pedir desculpas à mulher e acabou preso. No momento da prisão, o suspeito negou o crime e afirmou que havia saído de casa nesta sexta-feira (1). No entanto, na delegacia ele confessou o crime, que aconteceu na casa do casal, localizada na Rua Dino Bueno. Três pessoas serviram de testemunha para a polícia. Ainda segundo o documento policial, a arma utilizada pelo suspeito não foi localizada. Uma munição que estava escondida dentro de uma gaveta no guarda-roupas do homem foi apreendida. Ao G1, a Santa Casa informou que a mulher está internada no hospital e que o estado geral de sáude dela é estável."

sexta-feira, 24 de junho de 2016

Lorraine Rodrigues Neves, 25

Série: Mortalha
Título: Lorraine Rodrigues Neves, 25
Esferográfica s/ Kraft
20x20
2016

Fonte: http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2015/08/23/mulher-e-morta-pelo-marido-preso-durante-visita-intima-em-prisao-de-mg.htm

"Preso por homicídio e tráfico de drogas, Washington Mendes da Rocha, 30, estrangulou até a morte sua mulher, Lorraine Rodrigues Neves, 25, durante visita íntima neste sábado (21) na penitenciária José Maria Alkmin, em Ribeirão das Neves, região metropolitana de Belo Horizonte (MG). De acordo com a PM (Polícia Militar) de Minas Gerais, quando o horário da visita íntima acabou, Rocha foi encontrado pelos agentes penitenciários com o corpo da mulher ao lado, sem vida, estendido na cama, fazendo uma refeição "tranquilamente". Ele teria dito aos agentes que havia acabado de assassinar a mulher. A jovem, que tinha sinais de agressões e ferimentos na cabeça, morreu após ser estrangulada pelo marido com fios elétricos. Segundo a PM, não há registros de homicídios em visitas íntimas no Estado. Preso há seis meses Em nota, a Secretaria de Defesa Social de Minas Gerais informou que Rocha está preso há seis meses, desde fevereiro deste ano, cumprindo pena por roubo e porte ilegal de armas, além de homicídio e tráfico de drogas, mas não deu detalhes sobre o casal --se tinham filhos ou há quanto tempo estavam juntos. A pena de Rocha também não foi informada. Ele continuará preso na mesma penitenciária e deve sair somente para prestar depoimentos à Polícia Civil e à Justiça pelo novo delito. A nota informa ainda que, além das investigações da Polícia Civil, a direção da penitenciária instaurou procedimento interno para apurar o crime. A jovem era de Contagem, município também da região metropolitana da capital mineira. Seu corpo foi encaminhado para o IML (Instituto Médico Legal) de Belo Horizonte. De acordo com a secretaria, as visitas aos presos foram mantidas neste domingo (23)."

Maria Lúcia Delfino, 51

Série: Mortalha
Título: Maria Lúcia Delfino, 51
Esferográfica s/ Kraft
20x20
2016

Fonte: http://www.maispb.com.br/180814/mulher-e-morta-pelo-marido-em-sertaozinho.html


"A agricultora Maria Lúcia Delfino, 51 anos foi assassinada com golpes de facão, enxada, picareta e faca na cabeça e pescoço, no sábado (15), no município de Sertãozino. O marido da vítima foi preso em flagrante em um matagal, suspeito de ter praticado o crime. Ele depoimento à polícia, o suspeito afirmou que estava sendo traído pela esposa e ouvia vozes.O delegado responsável pelas investigações, Ricardo Sena, a Seccional da Polícia Civil no Brejo, revelou que o suspeito “dilacerou a mulher”. Os golpes chegaram a decepar a cabeça da vítima."

Ana Maria do nascimento, 68

Série: Mortalha
Título: Ana Maria do nascimento, 68
Esferográfica s/ Kraft
20x20
2016



"Na madrugada deste sábado (02), por volta das 5 da manhã, um crime bárbaro chocou a cidade de Araruama e toda Região dos Lagos. Ana Maria do Nascimento, de 68 anos, dona de um bar em Iguabinha, distrito de Araruama, foi brutalmente assassinada. Segundo a investigação da polícia, ao chegar ao local do crime, uma faca, um celular e um boné foram encontrados ao lado do corpo de Ana Maria, que estava esfaqueado e com sinais de espancamento no rosto. A guarnição viu em meio a multidão que cercava o local, um rapaz que apresentava sinais de nervosismo, ao aborda-lo os policiais viram sangue em seu short do menor de idade. Ao ser levado para a Delegacia, o jovem afirmou estar envolvido e entregou mais três nomes, o de Ademir Alves Júnior (35), Alexandra Virgínio (44) e Fabrício Benevewto Carneiro (20). Segundo a polícia, Ademir, confessou o crime sozinho. Alexandra e Fabrício foram liberados por falta de provas. O menor continua apreendido. A 118 DP continua investigando o caso."

Conceição Maria Serafim, 77

Série: Mortalha
Título: Conceição Maria Serafim, 77
Esferográfica s/ Kraft
20x20
2016

Fonte:http://g1.globo.com/mg/sul-de-minas/noticia/2016/04/idosa-e-encontrada-morta-em-quarto-de-pensao-em-guaxupe-mg.html

"Uma mulher de 77 anos foi encontrada morta na manhã desta sexta-feira (29) em uma pensão no Centro de Guaxupé (MG). A PM relatou que Conceição Maria Serafim era dona da pensão. Ela estava amordaçada, com as mãos amarradas para trás e diversos ferimentos. O corpo foi encontrado por uma hóspede. Segundo a Polícia Militar, a hóspede sentiu falta da idosa durante o café da manhã e, por volta das 6h30, foi até o quarto dela, onde a encontrou já morta. "A hóspede, ao levantar para tomar o café da manhã, percebeu que o café não estava pronto. Era 6h30 e, como já era de costume, neste horário já estaria pronto o café. Ao perceber que a senhora não tinha feito o café, ao chegar no quarto, ao chamar por nome, a mesma não atendeu. Ao empurrar a porta, percebeu que a mesma estava amarrada e caída do lado da cama, já sem sinais vitais", contou Valdeci Donizeti de Mattos, comandante da Polícia Militar. O quarto estava revirado e uma lata com resquício de crack foi encontrada. A polícia suspeita de um homem que estava hospedado na pensão há dois dias. "[Em] Um dos quartos, tinha um hóspede que tinha feito o uso de substância entorpecente, crack. Tinha uma lata de cerveja amassada, com resquícios de crack. E neste quarto tinha um lençol partido, tipo uma tira do lençol, e esta tira foi utilizada para amordaçar a vítima, que foi encontrada morta no outro quarto", explicou o comandante. A polícia não informou que tipo de arma foi usada no crime. A PM também não divulgou se foi levado dinheiro ou materiais do imóvel, mas não descarta a possibilidade de roubo seguido de morte. Até esta publicação, nenhum suspeito havia sido detido."

Renata Steink Nascimento, 17

Série: Mortalha
Título: Renata Steink Nascimento, 17
Esferográfica s/ Kraft
20x20
2016

Fonte: http://espiaonoticias.tv/menina-de-17-anos-e-assassinada-e-autor-comete-suicidio-familia-havia-pedido-apoio-a-policia-devido-ameacas/

“Que a partida de mais uma linda menina cheia de vida sirva para que nossas autoridades levem mais em consideração quando uma mãe desesperada procuram (tais autoridades), pois se a mãe foi até eles é porque não tinha a quem recorrer”. A mensagem no perfil da rede social da vítima Renata Steinck Nascimento, que completaria 18 anos em maio, indica que os familiares haviam recorrido à polícia por causa dos riscos que a menina corria. E o pior acabou acontecendo. Neste domingo, Ricardo Marques Ribeiro, 21 anos, ex-convivente de Renata teria pulado uma janela e adentrado ao quarto da moça, efetuando um disparo contra a jovem, causando-lhe a morte imediata. Na sequência, o autor efetuou um disparo contra si, sendo socorrido pelos profissionais do Samu, mas apesar da tentativa de reanimação veio a óbito por parada cardiorrespiratória. De acordo com as informações compartilhadas sobre a ocorrência, Ricardo Marques possuía antecedentes por violência doméstica, ameaça, posse de droga, lesão corporal e outros que contabilizam 12 registros policiais. Segundo informações, o autor do assassinato seguido de suicídio, estava em liberdade provisório do presídio masculino de Lages. Na rede social a imagem compartilhada da vítima com apenas 17 anos, moradora da rua Curitiba no bairro Santa Helena e Lages."

Carolina Gonçalves da Silva, 14

Série: Mortalha
Título: Carolina Gonçalves da Silva, 14
Esferográfica s/ Kraft
20x20
2016


"Em plena luz do dia, às 13h10 de ontem, Carolina Gonçalves da Silva, 14 anos, foi assassinada com um tiro no peito. A menina era viciada em cheirar solventes e cola de sapateiro. Sua morte passa a integrar a estatística divulgada ontem pela Tribuna, que mostra que a associação de drogas e violência é uma das principais causas de morte em Curitiba e Região Metropolitana. A garota, porém, é uma exceção aos casos mais comuns, que envolvem na maioria das vezes vítimas jovens do sexo masculino, entre 17 e 24 anos. Dois rapazes, um deles ex-namorado de Carolina, foram detidos como suspeitos do crime. Poucas informações foram obtidas pela polícia. Sabe-se que ela estava andando pela Rua Principal da Vila Zumbi dos Palmares, em Colombo, quando um Kadett, cinza ou verde, passou por ela. Duas pessoas que estavam dentro do carro começaram a atirar e depois desapareceram. Um dos tiros atingiu o peito da vítima. Mesmo assim, policiais militares do 17.º Batalhão e investigadores da delegacia do Alto Maracanã conseguiram deter dois suspeitos, entre eles o ex-namorado da menina. Eles foram pegos cerca de cinco quadras do local do crime. A arma e o carro descrito pelas testemunhas não foram encontrados pela polícia. Publicidade Os nomes dos detidos, que estão no xadrez do Alto Maracanã, estão sendo mantidos em sigilo. A suspeita recaiu sobre o ex-namorado, porque ele estaria ameaçando a vítima. A mãe de Carolina, Marlene Aparecida Ferreira de Lima, está presa na delegacia de Quatro Barras, por corrupção de menores. De acordo com a mãe e um tio da menina, Carolina era viciada em tíner e cola de sapateiro mas, no local da morte, comentou-se que ela poderia estar envolvida com crack. A Vila Zumbi dos Palmares, na Região Metropolitana, é conhecida como uma área com vários problemas, que vão desde a falta de infra-estrutura urbana até ao alto índice de criminalidade. É nesse ambiente que Carolina e outras centenas de meninas e meninos vivem, expostos a fatores de risco. Conforme estudos da psicóloga e policial federal aposentada Elismar Santander, divulgados na edição de ontem, esse é um meio propício para o tráfico e a violência. A solução apontada pela psicóloga é a orientação de jovens e crianças e a inclusão deles em processos sociais e educativos. "A escola tem tratado do assunto muito superficialmente. É preciso preparar o cidadão para o futuro", analisou."

Giovana Victoria Ribeiro da Silva, 7

Série: Mortalha
Título: Giovana Victoria Ribeiro da Silva, 7
Esferográfica s/ Kraft
20x20
2016

Fonte: http://www.ovale.com.br/nossa-regi-o/policia-prende-pai-da-menina-de-7-anos-assassinada-1.666195

"A Polícia Civil prendeu nesta segunda-feira Huilis Aparecido Ramos da Silva, 36 anos, suspeito de ser o mandante da morte da filha, Giovana Victoria Ribeiro da Silva, de 7 anos, na noite do último sábado, durante uma tentativa de assalto a uma lanchonete no bairro Novo Amanhecer, em Jacareí. Segundo a Policia, o pai revelou que tinha a intenção de dar um susto na mulher, porque queria que ela parasse de trabalhar na lanchonete. O motivo segundo ele, era que o trabalho estava atrapalhando o relacionamento do casal. Os dois suspeitos de executarem o crime foram detidos. O autor do disparo fatal, um adolescente de 17 anos foi detido no mesmo dia e encaminhado para a fundação casa. De acordo com informações da Polícia Civil, o rapaz conhecido como 'Kiki', de 23 anos, suspeito de dirigir a motocicleta usada na a fuga do crime foi detido na manhã de ontem, em flagrante. Ele foi encaminhado para a cadeia de Caçapava. A Policia Civil investiga, um terceiro homem envolvido, suspeito de ser o mandante do crime. O crime. Os dois criminosos armados chegaram de motocicleta ao estabelecimento, que fica dentro da residência da família e anunciaram o assalto à mãe da vítima, Claudia Silva. Segundo o depoimento da mãe da vitima para a polícia, os criminosos ficaram irritados com o valor disponível no caixa da lanchonete - de apenas R$ 7, e o menino de 17 anos disparou contra a filha da proprietária GVRS . O assaltante atirou nas costas da criança e a bala atingiu o coração. A vitima foi socorrida ainda com vida na Santa Casa de Jacareí, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu. O caso foi registrado no 1º DP (Distrito Policial). O velório da criança aconteceu no sábado a tarde no cemitério Jardim da Paz, no bairro Parque Santo Antonio."

Jessikaline Barbosa da Silva, 25

Série: Mortalha
Título: Jessikaline Barbosa da Silva, 25
Esferográfica s/ Kraft
20x20
2016

Fonte: http://g1.globo.com/pb/paraiba/noticia/2016/05/mulher-foi-morta-apos-fazer-delacao-contra-marido-na-paraiba-diz-policia.html

"Após 69 dias de investigação, a Polícia Civil concluiu nesta sexta-feira (13) o inquérito sobre o homicídio da motorista de transporte alternativo, Jessikaline Barbosa da Silva, 25 anos. A vítima morreu em março deste ano, após ser baleada dentro de um carro a mando do ex-companheiro dela que foi preso em uma investigação da Polícia Federal, segundo o inquérito. De acordo com a polícia, o crime foi motivado por uma delação premiada que a vítima fez entregando a quadrilha de que o ex-marido fazia parte. De acordo com a Polícia Civil, com o fim da investigação foram presos quatro homens de 23, 26, 37 e 39 anos, e outros dois adolescentes de 15 e 16 anos foram apreendidos por envolvimento no planejamento e execução do crime. Segundo a delegada de homicídios da Polícia Civil, Tatiana Mattos, tudo começou em 2014, quando Jessikaline iniciou um relacionamento com o homem de 37 anos, que estava sendo investigado pela Polícia Federal. No mês de dezembro daquele ano, o casal foi preso na Operação Passaguá, que desarticulou um esquema de tráfico de drogas interestadual e prendeu 56 suspeitos, em oito estados do Brasil, incluindo a Paraíba. De acordo com a investigação, Jessikaline fez uma delação premiada e contou tudo que sabia sobre o esquema que envolvia o ex-marido. Por conta disso ela não ficou presa, ao contrário dele. “Depois de um tempo, o ex-marido dela fugiu da cadeia e passou a procurar por ela através de familiares, pedindo para que ela mudasse o depoimento na justiça. Mas, como ela sabia que ele não estava satisfeito com a atitude, a vítima passou a mudar de endereço e telefone com frequência, para não ser encontrada”, disse a delegada. Segundo a Polícia Civil, em janeiro deste ano o ex-marido da vítima foi preso novamente em uma operação da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF). Em 16 de março deste ano, Jessikaline iria prestar um novo depoimento na Polícia Federal. “Sabendo disso, dentro do presídio, o ex-marido se articulou com um amigo de cela, de 26 anos, e planejou matar a vítima para que não prestasse o depoimento. Este amigo acionou duas pessoas que estavam fora do presídio, sendo o autor do disparo, um homem de 23 anos, e outro homem de 39 anos que também era motorista de transporte alternativo e saberia como encontrar a vítima”, explicou a delegada. Conforme a investigação da Polícia Civil, com o plano traçado, o executor do crime de 23 anos solicitou uma viajem a motorista Jessikaline para o dia 4 de março, quando pretendia matar ela. Entretanto, no dia a vítima foi com o atual marido no carro e o autor desistiu do crime. No dia seguinte, 5 de março, com a ajuda dos outros dois adolescentes, que roubaram uma moto pra ser usada no crime, o autor dos disparos agendou uma nova corrida. “Quando a vítima chegou na esquina da casa, o homem de 23 anos se aproximou na moto, entrou no carro e atirou na cabeça dela”, disse Tatiana Mattos. Depois de ser ferida, a vítima foi socorrida e levada para o Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande, onde ficou internada em estado grave e morreu no dia 7 de Abril. O autor dos disparos e o motorista alternativo foram presos no dia 29 de maio. Já os dois adolescentes foram apreendidos no dia 2 de Abril com a arma do crime, após roubos na cidade de Juazeirinho, no Cariri paraibano, segundo a polícia. Durante confronto balístico, foi confirmada que a arma foi a mesma usada no homicídio de Jessikaline."

Ana Celeste Farias da Silva, 37

Série: Mortalha
Título: Ana Celeste Farias da Silva, 37
Esferográfica s/ Kraft
20x20
2016

Fonte: http://www.correio24horas.com.br/detalhe/noticia/mulher-se-envolve-em-briga-e-e-morta-pelo-marido-da-rival-no-dia-do-aniversario/?cHash=5f9d7b1628f1d95e8a0e7f60fd5def47

"Ana Celeste Farias da Silva, 37 anos, foi morta nesta quinta-feira (28) à noite, dia do seu aniversário, na Rua Siqueira Campos, no Barbalho, após se envolver em uma discussão com Jamile de Jesus da Silva. A vítima teria provocado a rival. Segundo informações da polícia, após a confusão, Jamile saiu para chamar o companheiro, e ele já chegou ao local atirando. Ana Celeste foi atingida na cabeça, no pescoço, nas costas e no ombro esquerdo. Ela ainda foi socorrida pela irmã para o Hospital Geral do Estado (HGE), mas não resistiu aos ferimentos e morreu. Segundo um morador, três homens desceram de um carro branco e um deles atirou contra Celeste. "Ela não teve nem chance de defesa. Foi uma coisa horrível", contou. Ainda de acordo com ele, a vítima teve uma discussão antes do crime. "Foi uma briga muito feia com uma mulher, elas se xingaram bastante. Foi bem feio mesmo. Aí depois aconteceu essa tragédia", completou. Celeste era conhecida no bairro por vender rifas. Ela morava sozinha próximo ao Largo do Santo Antônio. Moradores e comerciantes do entorno ficaram assustadas com o crime. "Eu ouvi os tiros e fiquei assustada. Aí fechei as portas", disse a dona de uma lanchonete. O corpo foi levado para o Instituto Médico Legal Nina Rodrigues (IML), onde será periciado. O caso será investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP)."

Kelly Aparecida Vitalino, 33

Série: Mortalha
Título: Kelly Aparecida Vitalino, 33
Esferográfica s/ Kraft
20x20
2016

"Uma mulher de 33 anos foi assassinada a tiros na noite desta quinta-feira (23) na rua Brasílio Machado, na Vila Marízia, região central de Londrina. Segundo a Polícia Militar (PM), a vítima foi identificada como Kelly Aparecida Vitalino. Pedestres ligaram para a PM depois de passar pelo local e ver a mulher caída. Quando os socorristas chegaram ao local, ela já estava morta. Testemunhas informaram que dois homens atiraram e fugiram a pé. A PM não soube informar se Kelly já tinha antecedentes criminais. A Polícia Civil vai investigar o caso."

quinta-feira, 23 de junho de 2016

Denise Wyviane Lima, 27

Série: Mortalha
Título: Denise Wyviane Lima, 27
Esferográfica s/ Kraft
20x20
2016



"Um homem foi condenado a 21 anos de prisão pela morte de sua ex-mulher em 2005, no município de Missão Velha, Região do Cariri, nesta terça-feira (8). Roberto Ítalo Dantas Milfont, de 26 anos, matou Denise Wyviane Lima, que estava com 27 anos, com 36 golpes de faca. O assassino teria aumentado o volume da televisão para cometer o crime e não ser percebido pelos vizinhos. O corpo da vítima, que era casada com Roberto há três meses, foi encontrado por seus familiares. Segundo o depoimento de algumas testemunhas, o homicídio foi motivado por ciúmes. Roberto chegou a ficar nove meses preso na Cadeia Pública do Crato, mas foi liberado por conta de um habeas corpus expedido pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). O acusado recorreu da sentença e aguarda um novo pronunciamento da Justiça em liberdade. Na saída do Fórum de Missão Velha Roberto foi vaiado por amigos e familiares de Denise. Eles também exibiam cartazes com pedidos de justiça."

Ingrid Clemente de Oliveira, 23

Série: Mortalha
Título: Ingrid Clemente de Oliveira, 23
Esferográfica s/ Kraft
20x20
2016   




"Ingrid Clemente de Oliveira, de 23 anos, foi morta pelo ex-companheiro Maurício Souza em Mogi das Cruzes, na região metropolitana de São Paulo. A jovem foi morta em frente à filha, de apenas três anos, após dizer que queria terminar o namoro. Segundo familiares, antes da tragédia, Ingrid teria registrado boletins de ocorrência contra Maurício."

Priscila Franco Silva, 26

Raquel Stanick
Série: Mortalha
Título: Priscila Franco Silva, 26
Esferográfica s/ Kraft
20x20
2016                                                                                                                                                                    
Fonte:http://www.em.com.br/app/noticia/nacional/2016/01/12/interna_nacional,724361/gravida-de-6-meses-moradora-de-campinas-e-estuprada-e-morta-na-bolivi.shtml                                                                                                                                                
"A comerciante Priscila Franco Silva, de 26 anos, moradora de Campinas, interior de São Paulo, foi violentada e morta na cidade boliviana de Puerto Quijarro, na fronteira com o Brasil. Ela estava grávida de seis meses e tinha viajado com um grupo de sacoleiras para comprar roupas - a cidade boliviana é vizinha de Corumbá, em Mato Grosso do Sul. O crime aconteceu no dia 8 e até esta terça-feira, 12, o corpo permanecia em Santa Cruz de La Sierra, à espera de providências da família. Sem recursos sequer para pagar a viagem de avião, o marido de Priscila, Thiago Henrique Batista Ferreira, de 29 anos, deve tomar um ônibus nesta quarta-feira, 13, com destino à Bolívia. Amigos e vizinhos do Jardim Bassoli, onde ela morava, lançaram uma campanha nas redes sociais na tentativa de conseguir dinheiro para o traslado do corpo. "Minha mulher era amiga dela e, além de estar grávida, a Priscila deixou dois filhos pequenos, de 4 e 6 anos. As crianças estão com a avó e ainda não sabem que a mãe está morta", contou Ivanil Silva. Segundo ele, a viagem de Thiago será feita com a passagem de ida e com pouco dinheiro. "Estamos tentando ajudar, pois o governo não está dando nenhum apoio material." Ivanil contou que Priscila costumava comprar roupas no Brás, em São Paulo, para revender no interior, mas foi convencida por uma amiga a se abastecer na cidade boliviana. "A amiga já tinha ido e disse que tudo lá era mais barato." Ele não acredita numa das hipóteses levantadas pela polícia boliviana, de possível envolvimento com o narcotráfico. "Ela não tinha nenhum perfil para isso, inclusive a mãe dela, dona Chiquinha, era muito conhecida no bairro e faleceu recentemente." Priscila foi encontrada num matagal, de bruços, com as mãos amarradas, e marcas de tortura. Os autores do crime levaram apenas dinheiro e documentos, deixando a bolsa de mão, mala e demais pertences com a vítima. A perícia concluiu que ela sofreu violência sexual e foi estrangulada. Havia ainda ferimentos e contusões nas costelas. O marido reconheceu a mulher pelas fotos, por meio de tatuagem de borboletas e do nome dele gravado nas costas. O coronel boliviano Hugo Justiniano Añez, comandante da Polícia de Fronteira, disse que Priscila deve ter sido morta em outro local e deixada no ponto em que foi avistada por um transeunte. Foi apurado que ela havia morrido 12 horas antes de o corpo ser encontrado, em local onde passam muitas pessoas. A polícia boliviana pediu às autoridades brasileiras informações sobre os antecedentes criminais de Priscila. O objetivo é confirmar ou descartar a hipótese de que ela tenha sido morta por narcotraficantes. Para o marido da brasileira, a hipótese não tem lógica. Ele disse que a mulher viajou com o dinheiro certo para comprar roupas e voltar a Campinas. O Itamaraty informou que o caso é acompanhado pelo consulado brasileiro em Santa Cruz de la Sierra e pelo vice-consulado de Puerto Suárez. Segundo o Itamaraty, o traslado do corpo deve ser providenciado pela família, já que a legislação não permite que o governo brasileiro assuma os custos."

Juliana Roberto Ferreira, 19

Raquel Stanick
Série: Mortalha
Título: Juliana Roberto Ferreira, 19
Esferográfica s/ Kraft
20x20
2016   


"AMAZONAS – Após ficar desaparecida, a jovem Juliana Roberto Ferreira, de 19 anos, foi encontrada morta dentro do cemitério municipal de Codajás (distante 240 quilômetros da capital amazonense), no último final de semana. Segundo a polícia, o corpo da vítima estava com o rosto desfigurado e com sinais de violência sexual. Sem calcinha e usando apenas uma blusa verde, Juliana foi morta com crueldade. Segundo policiais militares do município, dois homens – ainda não identificados – são suspeitos de estuprar e depois matar a jovem à pancadas. Uma cruz de madeira de um dos túmulos foi arrancada e usada na agressão. Segundo familiares, a jovem saiu de casa na última quinta-feira e não retornou. Moradores de Codajás estão revoltados com a morte da jovem e pretendem fazer uma grande movimentação para protestar contra a insegurança na cidade. Eles pedem justiça e que o caso não seja mais um nas estatísticas da segurança pública. O caso está sendo investigado pela delegacia da cidade."

Ana Mendieta, 37

Raquel Stanick
Série: Mortalha
Título: Ana Mendieta, 37
Esferográfica s/ Kraft
20x20
2016                                                                                                                                                                    

"Ana Mendieta (18 Novembro 1948 – 8 Setembro 1985) foi uma artista plástica que participou do movimento feminista de artistas dos anos 70 nos Estados Unidos. Antes deste período, as mulheres não tinham entrada no mundo da arte, tornando-se fundamental, para que pudessem produzir, que se organizassem e se manifestassem politicamente para cavar seu espaço dentro dos espaços de arte contemporânea e terem seus trabalhos vistos e reconhecidos. Para além disso, suas obras vieram para criticar a racionalidade das obras em destaque no momento, o Minimalismo, propondo trabalhos mais viscerais, que conduzissem a um olhar para o corpo. Este período não só transformou o olhar do meio artístico para as mulheres, como transformou radicalmente os rumos e possibilidades da arte contemporânea, inclusive aprofundando a pesquisa em torno da performance como linguagem expressiva.Mendieta nasceu em Havana, Cuba. Aos 12 anos ela e sua irmã Raquelin foram mandadas para os Estados Unidos por seus pais, que queriam protegê-las do regime de Fidel Castro, a partir de um programa colaborativo entre o governo americano e a igreja católica, chamado de Operação Peter Pan. As duas irmãs então viveram entre diversas instituições, orfanatos e casas em Iowa durante a adolescência.Ana estuda artes plásticas na Universidade de Iowa, onde inicia sua pesquisa. Sua obra transita entre questões de gênero, nacionalidade, raça, exílio etc.A artista demora a poder retornar a Cuba e então, estabelece seus trabalhos inicialmente nos próprios EUA e no México, só quando já tinha um trabalho mais desenvolvido que também viaja à Cuba e também desenvolve pesquisas em sua terra natal. Suas obras sempre buscam fugir do contexto urbano, buscando uma relação concreta entre corpo-meio junto à natureza e/ou a espaços rituais – como no caso das ruínas pré-hispânicas mexicanas.A maioria de seus trabalhos se constroem a partir de vivências corporais pelas quais a artista passa, ou seja, tratam-se de trabalhos de performance. Entretanto, poucos de seus trabalhos contaram com a presença real de um público, que pode acessar as experiências que ela vivenciou apenas através de fotografias ou vídeos. Dessa forma, as obras da artista sempre se apoderam de uma atmosfera de mistério, elaboram questões, suspensões e não respostas claras. Alem disso, dessa forma a artista tora explícito o não-lugar ou a outridade de sua condição como uma mulher cubana exilada, que nunca será Alguém, mas sempre o Outro de Alguém. Suas obras tornam visível a presença fantasmática do feminino e de um corpo mais próximo do ritual, mais distante da “civilização ocidental”. São presenças fantasmáticas, como sombra, como avesso perturbador do “lugar comum“ do homem ocidental e da arte minimalista. Ana Mendieta teve uma morte trágica e polêmica. Morreu aos 37 anos. Seu corpo caiu da janela do 34o andar de seu apartamento. Todas as evidências indicam que Ana foi assassinada por seu marido Carl Andre, que a teria empurrado da janela apos uma discussão. Não ouve testemunha visual, entretanto, ouviram a artista gritando Não diversas vezes logo antes de sua queda, alem de haverem marcas de unha recém feitas nos braços de Carl Andre e dos depoimentos do artista serem diferentes nos dias distintos em que foi entrevistado pela policia. Protegido, entretanto, pela comunidade artística, ele foi absolvido e o inquérito policial decidiu concluir que Ana havia se suicidado. Inconformadas, as artistas feministas da época mantiveram protestos por um bom tempo, chegando a invadir a abertura de uma exposição no Guggenheim onde havia uma obra de Carl André, aos gritos de “Onde está Ana Mendieta?”. Ao chegarem diante da obra dele, as mulheres jogaram sobre ela diversas imagens de Ana. Pode-se Ver um pouco mais sobre a história da artista e desse movimento dos anos 70 nos EUA no documentário !Woman Art Revolution, de Lynn Hershman Leeson, que estreou em 2011."

Dara Mayara dos Santos, 17

Raquel Stanick
Série: Mortalha
Título: Dara Mayara dos Santos, 17
Esferográfica s/ Kraft
20x20
2016   


"O crime aconteceu na madrugada deste domingo (19) na Rua Pelicano, 265 no Jardim Olímpico em Maringá. Segundo informações da Polícia Militar duas jovens chegaram de uma boate e entraram em casa, o ex namorado de uma delas pulou o portão arrombou a porta discutiu com as víitmas e atirou nas duas. SUELEN CAROLINA FAVAROM DA SILVA, 19 anos, levou um tiro no abdômen foi socorrida pelo Siate com ferimentos considerados graves sem risco e encaminhada ao Hospital Universitário, já DARA MAYARA DOS SANTOS, 17 anos, morreu no quarto da casa com pelo menos 4 tiros. Segundo familiares o autor do crime seria o ex de Dara, o jovem Arthur Vieira Sobrinho da Cruz que após os disparos fugiu e está sendo procurado, e ainda segundo familiares tudo isso foi por conta que Arthur ameaçou Dara após o fim do namoro, se ele encontrasse ela com outro ele mataria ela, e não contente vendo a amada com outro ele foi lá e matou a moça e atirou na amiga."